segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Entrevista a Alena Diachenko (UKR)

Leia a entrevista feita à júnior Alena Diachenko pela Federação de Ginástica da Ucrânia. A ginasta esteve em Portugal em Abril do passado ano, na AGN Cup 2015. Esteve também na AGN Cup 2013.

Agradeço desde já a tradução da entrevista à Adriana Castro.

"Alena Diachenko: “Eu quero ser eu mesma, não ser parecida a todos”.

No início de 2016 a Federação de Ginástica da Ucrânia entrevistou uma das suas juniores mais promissoras, campeã da Ucrânia, medalhista de vários Torneios Internacionais e apenas fantástica ginasta Alena Diachenko.


1. Conta-nos, por favor, como começou a tua carreira na ginástica rítmica.
Eu tinha 6 anos quando comecei a praticar Ginástica Rítmica. Foram os meus pais que me levaram. A minha primeira treinadora – Maria Gritsunova-Semenchenko, trabalha em conjunto com a minha atual treinadora Ekaterina Baranovskaya. Lembro-me muito bem do meu primeiro dia no ginásio. A minha treinadora Ekaterina pediu-me para mostrar o que sabia fazer, para esticar as pernas. Naquele momento eu fazia quase a espargata frontal e a ponte. Eu fui aceite, e a minha mãe inscreveu-me. No início não gostava muito... Houve tempos em que não queria mesmo ir treinar, mas mesmo assim eu quase nunca faltava aos treinos.

2. O que é que te motivou?
Eu gostava muito de ver as meninas mais velhas e queria fazer como elas.

3. Em que momento é que percebeste que a ginástica é mais do que um passatempo?
Acho que foi aos 8-9 anos, quando comecei a ir a estágios no Verão. Gostava muito dos estágios e mesmo agora gosto, apesar dos treinos serem mais intensivos.

4. Os teus pais ajudam-te a ultrapassar as dificuldades ligadas ao desporto ou tentas resolver tudo sozinha?
Os meus pais claro que me ajudam, mas a maior parte das vezes é a minha treinadora que me apoia, defende e quando é preciso dá-me uns sermões mágicos.

5. Qual é a relação com a tua treinadora? Pode-se dizer que ela se tornou na tua segunda mãe?
A relação com a minha treinadora é muito boa: Ekaterina é uma das pessoas mais chegadas a mim. Posso dizer com toda a certeza que ela se tornou a minha segunda mãe desde a infância.

6. A maioria dos fãs admira a tua forma ideal. Tens algum segredo?
Em relação a isso devo agradecer aos meus pais. A minha mãe e o meu pai são altos e magros. Eu também sou assim, mas é preciso controlar. Todas as noites como uma toranja e tento não jantar, quando é preciso.

7. Quem é o autor dos teus maillots elegantes?
Todos os maillots foram feitos por diferentes costureiras. O novo de maças foi feito pela selecção. Os outros é segredo.

8. Conta-nos as tuas impressões do primeiro, na tua carreira, Campeonato do Mundo de Clubes. O que gostaste mais?
Eu gostei de tudo, as pessoas eram muito simpáticas e optimistas. Eu gosto muito de competir e cada vez que entro no praticável é um prazer para mim, apesar dos nervos... O ginásio era enorme. A decoração era fantástica! Tudo ao mais alto nível! Beleza!

9. Costumas participar em muitos torneios no estrangeiro? Qual foi o país que mais gostaste e porque?
Já competi em muitos países, mas mais do que todos eu gostei de competir em Portugal na AGN Cup e no Japão na AEON Cup.

10. Que estilo gostavas de mostrar na nova época? Já tens ideias sobre as novos exercícios?
Os novos exercícios já estão feitos. Gosto muito muito! Agora o importante é mostrá-los nos Estados Unidos. (informação: Alena vai competir este fim de semana em Los Angeles)

11.  Normalmente, os desportistas profissionais deixam os estudos para segundo plano. E tu, como estudas?
Tento estudar e perceber as coisas, mas como só vou à escola uma vez por semana (às vezes nem isso), torna-se difícil. Os estudos passaram para segundo plano a partir do 3º ou 4º ano.

12. Há ginastas que têm facilidade nas dificuldades corporais, outras no trabalho de aparelho. Em que é que sentes mais facilidade?
Eu tento dar atenção ao corpo e ao aparelho. Às vezes é difícil juntar as duas coisas, até porque eu sou muito alta e ainda estou a crescer. É difícil coordenar os meus longos membros.

13. Nas redes sociais costumam comparar-te à líder da selecção russa Yana Kudryavtseva. O que é que achas? Gostas desta comparação?
Eu gosto da Yana. Claro que é muito agradável ver essas comparações, eu gostava de ser como ela em alguns detalhes, mas não fisicamente. E nós não somos assim tão parecidas, apenas somos as duas loiras. Eu quero ser eu mesma, não ser parecida a alguém.

A Federação de ginástica da Ucrânia agradece à Alena pela entrevista e deseja-lhe sucessos no Torneio LA Lights!"

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...