sexta-feira, 4 de março de 2016

Seleção brasileira preparam-se para o Rio 2016


"Embalada por Nirvana, Natália Gaudio aposta em nova série de arco para surpreender no Rio 2016

Representante brasileira na ginástica rítmica individual, capixaba teve coreografia montada por ucraniana medalhista olímpica

Natália Gaudio fez uma mistura de ritmos para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e deixou a maior surpresa para o principal aparelho. No arco, apostou na música Smells Like Teen Spirit, da banda norte-americana Nirvana, em uma coreografia recém-criada pela ucraniana medalhista olímpica Anna Bessonova. O objetivo da representante brasileira na ginástica rítmica individual é surpreender a todos dentro de casa.

Os treinamentos da ginasta da Seleção Brasileira Individual seguem a ‘todo vapor’ na corrida contra o tempo em busca da ‘perfeição’. "O ano de 2016 já começou com a montagem da nova série de arco com a Bessonova. Agora, com a coreografia pronta, começamos a passar a série inteira como preparação para os Jogos Olímpicos. Leva um tempo até acostumar e pegar ritmo, então estou repetindo bastante. Os treinos continuam bem puxados. Depois do Mundial do ano passado não paramos mais", comentou a capixaba de 23 anos.

Na ginástica rítmica, o processo de montagem das séries é fundamental para o sucesso de uma atleta, já que, na competição, é no pequeno período de pouco mais de um minuto que a ginasta pode mostrar todo o trabalho. Nesse quesito, Natália se sente totalmente satisfeita. Primeiro, pela escolha da música. "Nós - Natália e a técnica Monika Queiroz - queríamos um ritmo diferente das outras séries. Então, desde o ano passado pesquisamos muito e encontramos várias opções, até chegar na Smells Like Teen Spirit. É uma música que sempre gostei e que é mundialmente conhecida. Levamos em conta isso também, porque queremos levantar o público, que todos cantem e se envolvam", destacou.

Depois da escolha da música, Natália contou com o auxílio da ucraniana Anna Bessonova, dona de dois bronzes no individual geral em Jogos Olímpicos. A interação entre as duas foi a melhor possível e acrescentou muito dentro e fora de quadra. "Eu confesso que me impressionei e me surpreendi com a Bessonova. Ela é simples, humilde, atenciosa, super querida, me deu total atenção em cada detalhe, me passou movimentos que ela fazia quando ginasta e aprendi com isso. A combinação foi perfeita, porque a Bessonova foi uma ginasta maravilhosa no arco, que é o aparelho que mais gosto. Estou apostando bastante nessa série. As pessoas que viram até agora estão adorando, o ritmo é empolgante e a coreografia está encaixada em cada batida da música. A Bessonova se entregou mesmo para fazer essa série olímpica, até porque ela tem esse espírito. Foi um sentimento inexplicável tê-la ao meu lado, porque ela sempre foi uma inspiração para mim. A série ficou maravilhosa, tem elementos diferentes e bastante do estilo ucraniano, do qual sou muito fã", explicou.

Mesmo com vaga garantida nos Jogos Olímpicos, Natália será uma das participantes do evento-teste, na Arena Olímpica do Rio de Janeiro, na Barra da Tijuca, no dia 22 de abril. Essa oportunidade de conferir de perto o palco das Olimpíadas será incrível, segundo a brasileira. "Acho que quando eu entrar no ginásio é que vai cair a ficha que estou classificada para a maior competição esportiva do mundo. Cada dia que passa dá um pouco mais de ansiedade e um friozinho na barriga em pensar que está chegando. Acho que depois do evento-teste, com essa primeira impressão, dará uma aliviada", confessou.

Antes do evento-teste, Natália fará um estágio de treinamento em março e participará do Internationaux de Thiais, na França, e da Copa do Mundo de Pesaro, na Itália. Depois da competição na capital fluminense, a brasileira terá um calendário extenso em preparação para os Jogos Olímpicos, com treinos e competições internacionais e também eventos nacionais.

Além da nova série no arco, Natália tem no repertório a música Bandolins, de Oswaldo Montegro, na bola, Drácula, de Wojciech Kilar, nas maças, e Ibiza Dance, da Bateria da Mocidade, na fita.



Para levantar o público, Seleção de Conjunto de Ginástica Rítmica terá série ao som de Ivete Sangalo

Cantora baiana gravou versão de Aquarela do Brasil especialmente para a equipe que se prepara para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro

O tão esperado ano olímpico começou com tudo para a Seleção de Conjunto de Ginástica Rítmica. As brasileiras, que se preparam no Centro Nacional de Treinamento, em Aracaju (SE), têm o desejo de fazer história nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em agosto, e quando entrarem na quadra da Arena Olímpica, serão embaladas pela cantora Ivete Sangalo na série de cinco fitas.

"Com certeza o nosso coração irá bater mais forte", comemorou a treinadora-chefe, Camila Ferezin. A cantora baiana gravou recentemente Aquarela do Brasil, escrita pelo compositor Ary Barroso, em uma versão criada especialmente para as meninas da ginástica rítmica e que tem a estreia marcada para o evento-teste, no dia 22 de abril.

Camila tem a vida totalmente ligada à ginástica rítmica. Como atleta da Seleção, conquistou resultados importantes, como o fato de ter sido finalista dos Jogos Olímpicos de Sidney, em 2000. Depois, foi convidada para o cargo de auxiliar técnica e, novamente, levou a equipe à final dos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004. Atualmente, é a treinadora-chefe do grupo. Apesar de tanto tempo dedicado ao esporte, o ano de 2016 promete ser diferente dos demais. "Essa será minha primeira edição dos Jogos Olímpicos como técnica e dentro de casa, por isso, viveremos momentos ainda mais especiais. As ginastas querem fazer bonito, estão focadas e determinadas a fazer história", afirmou Camila. O melhor resultado do conjunto brasileiro na competição foi a oitava colocação em Sidney e em Atenas.

A coreografia eternizada na voz de Ivete Sangalo será inesquecível também para Otávio Santos, compositor e arranjador responsável pela trilha. Desde 2011 fazendo arranjos para a equipe, o paranaense de Londrina contou como foi o processo de produção da música. "A Camila pediu para que eu criasse um arranjo para Aquarela do Brasil, trabalhada com gêneros genuinamente brasileiros. A série terá uma trilha mais indígena, com um samba empolgante e caloroso. A gente construiu para que ela ficasse o mais brasileiro possível, com a utilização de vários instrumentos e arranjos que traduzissem o fato dos Jogos Olímpicos serem aqui. Esse é o resultado de um trabalho árduo e tenho recebido um feedback bem positivo. Estou torcendo muito para que traga bons resultados", comemorou.

Criar o arranjo interpretado por Ivete Sangalo foi algo inesperado na carreira de Otávio, que tem a vida ligada à música desde os sete anos. "Eu gosto muito da Ivete, da qualidade musical dela, é tudo bem feito. Para mim, foi algo inesperado. É um sonho vê-la cantando algo criado por mim, ainda mais em Jogos Olímpicos. É um reconhecimento do meu trabalho. Estou grato e honrado com essa oportunidade", encerrou.
O calendário da equipe em 2016 será bastante extenso. Na programação, estão competições como a Copa do Mundo de Lisboa, em Portugal, o Internationaux de Thiais, na França, e a Copa do Mundo de Pesaro, na Itália, antes do evento-teste. Logo depois, serão disputadas etapas de Copa do Mundo, em países potências da modalidade, como Bielorrússia, Bulgária e Rússia."

Notícias retiradas do mural do Facebook da CBG - Confederação Brasileira de Ginástica

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...